Galeria

IDENTIFIQUE-SE

Este trabalho procura ligar a questão da identidade com o fenômeno da Internet, tão presente na nossa vida cotidiana.

O uso de signos gráficos em mensagens recebidas pelas redes sociais e e-mails me intrigava. Criou-se uma escrita que constrói imagens com o que, usualmente, é usado para compor frases e palavras.  Como se pontos, parênteses e letras esquecessem suas identidades costumeiras e se transformassem em olhos, sorrisos e bocas.  E até em aparelho de dentes, bolhas, lágrimas, fones de ouvido…

Como sabemos, o nosso endereço virtual se tornou tão importante (ou mais) quanto o nosso endereço físico. A comunicação com nossos amigos é feita, na grande maioria das vezes, por e-mails e mensagens. Sabemos notícias da nossa família ou dos amigos ausentes por whatsapp, Instagram e Skipe… No banco, um dispositivo de internet lê as digitais ou palma da mão para nos identificar. Estamos reféns da tecnologia?

Para reforçar a relação entre a linguagem virtual e nossa identidade, achei pertinente apresentar a escrita da Internet por meio de crachás comumente utilizados em congressos e reuniões de trabalho.