Galeria

CLEPTO

A história da arte ocidental sempre considerou a cópia, na melhor das hipóteses, um trabalho inferior e, na pior, uma contravenção, uma afronta ao criador do original. A arte contemporânea pensa diferente. A apropriação de imagens existentes e a construção de novas configurações fazem parte do nosso pensar artístico atual.

Nessa série, frequentei, obsessivamente, livros de arte, fotografei detalhes, procurei  incitar o que está à margem da obra a se exibir, trabalho de amor e violência ao mesmo tempo. O computador me permitiu remexer nessas apropriações, um trabalho de bricolagem, me ajudou a colocar lado a lado tempo e espaço e a transformar meu trabalho num tecido complexo de citações.

Essas imagens podem ser devolvidas, não por mim, a cleptomaníaca, mas por vocês, que olham com cuidado e reconhecem, baseados em seus próprios repertórios, os verdadeiros donos. Uma declaração de amor à História da Arte.